fbpx

Design thinking norteia ferramenta que contribui com dia a dia de professores

Designer gráfico e especialista em Comunicação Digital, Iran Pontes das Mercês é, agora, mestre pela CESAR School. Com a pesquisa “DESIGN E EDUCAÇÃO – A colaboração do Design no Desenvolvimento de Framework para Auxiliar no Planejamento de Aulas para Uso de Metodologias Ativas na Educação Básica”, Iran oportunizou uma ferramenta que facilita a rotina de preparação das aulas, tanto para profissionais que atuam em rede privada quanto os da rede pública. Confira a entrevista concedida:

Definição do tema

Foi em parceria com meu orientador – o professor Luiz Francisco Alves de Araújo – e de acordo com uma “dor do mercado” de educação que é o planejamento de aula, como se trabalha com metodologias ativas. É muito comum que o professor faça um planejamento de aula mais básico, apenas conteudista, e, no decorrer do tempo, decida se vai trabalhar naquela aula uma PBL (metodologia Problem Based Learning), em outra um trabalho em pares; em uma terceira, visual thinking. 

O professor não tem uma organização para seguir trabalhando o conteúdo de modo engajador e coletando feedback. Não se tem muitos processos claros disso. Então, esse tema foi proposto desta forma: dar ao professor, nessa dor do planejamento de aula, que não é algo simples de fazer, já pensando em todos os processos para que ele ministre a sua aula de modo a trazer o aluno para o centro do processo de aprendizagem e, ao mesmo tempo, coletar feedbacks a respeito dessa aula também.

Decorrer da pesquisa

Houve muitas mudanças. Inicialmente, a pesquisa seria feita em escolas, mas veio a pandemia e não consegui. Minha pesquisa tem base em etnografia, então, trabalhei online, com os professores, por meio de pesquisa, coletando com eles informações para propor um framework, que era a proposta da dissertação. Essa condução permite que o professor consiga ter um norte para fazer seu planejamento de aula usando os processos do design thinking.

Uso do Design Thinking

Foi utilizado no processo de empatia, definição do problema, ideação, protótipo e a solução. E aqui eu consegui, entre as etapas, desenvolver um processo de framework. Empatia e definição do problema nós trabalhamos, no framework, metodologia. E aí tem uma explicação sobre a metodologia. Entre definição do problema e ideação, nós temos os materiais que é quando se vai pensar exatamente neste material. Entre o processo de ideação e de biotipagem, nós temos as problemáticas e as propostas que vão ser trabalhadas. 

Por fim, temos os resultados entre prototipagem e solução que seria a entrega do framework como um todo já com entrega do feedback dos alunos.

Uso da ferramenta para o professor

Essa ferramenta atua para o professor como um norte para que ele se estimule a trabalhar com metodologias ativas e, a partir daí conduza de modo ativo esse aluno no conhecimento do aprendizado de modo significativo. Isso se dá com afeto e voltado para o aprendizado do aluno, mas com uma ferramenta voltada para o professor que trabalha em escolas públicas ou particulares.

Metodologia ativa aplicada

Como é uma pesquisa que foi feita em um momento de pandemia, não foi ainda trabalhada a ferramenta de um modo oficial. A proposta é que para o doutorado a gente consiga implementar essa ferramenta. Agora, após o mestrado, eu já vou trabalhar essa ferramenta com os profissionais, até fiz um teste com uma escola e deu super certo.

Eles conseguiram criar propostas de ideias de aulas usando as ferramentas, ficou muito legal, mas eu não coloquei porque foi após o período de pesquisa. O resultado que eu percebo é que o professor consegue se envolver muito mais com o seu conteúdo e pensar de forma mais objetiva para levar o aluno ao engajamento porque houve metodologia ativa.

A metodologia ativa vem como base para que o professor coloque como etapa do framework. Então, o framework só vai funcionar se o professor também trabalhar metodologia ativa. Ele pode escolher a metodologia, das mais simples às mais complexas, e, a partir daí, do framework, ele vai atender ao seu planejamento de aula.

Futuros desdobramentos

A ideia é ter um desdobramento da pesquisa para o doutorado, trabalhar até mesmo de modo digital. A ideia é ter um aplicativo onde o professor consiga ter essa construção. Um aplicativo que possa ser, no futuro, ligado com a própria escola. Quero trabalhar mais, vou testar mais esse framework em escolas. A ideia é, este ano ainda, fazer alguns testes com professores em escolas para poder melhorar e modificar o que for preciso. 

 

Rolar para cima

Onde estamos

Rua Bione, Cais do Apolo, 220, Recife - PE, 50030-390