fbpx

AACD de Recife fecha parceria com a CESAR School para desenvolver sistema de melhoria para a “Corrente do Bem”

 A AACD de Recife firmou uma parceria com a escola de inovação e tecnologia CESAR School para desenvolver um sistema de gestão e melhoria dos cofrinhos que fazem parte da “Corrente do Bem”, uma das formas de arrecadação de recursos da Instituição. 

A parceria envolve atividades práticas com alunos dos cursos de graduação em Ciência da Computação e Design, visando o desenvolvimento e a possível execução de projetos para solução de problemas ou demandas com foco na identificação de oportunidades para a unidade da AACD. 

“Além da preocupação acadêmica por parte dos estudantes no desenvolvimento do projeto, era perceptível a empolgação deles por se tratar de um trabalho que iria auxiliar a vida de pessoas ligadas de forma direta e indiretamente à AACD, resultando em soluções inovadoras que realmente irá mudar uma realidade e seu entorno”, enfatiza Everton Dias, professor da CESAR School. 

A colaboração está em andamento desde agosto e deve ser encerrada no final desse ano, com um relatório completo analisando os seguintes aspectos: Mapeamento dos cofres; Controle interno e contagem; Apoio para os voluntários que fazem a manutenção do cofre; Segurança do Cofre; Manutenção do Cofre; e Otimização de roteiro de logística.

A “Corrente do Bem” funciona com a instalação de cofrinhos em estabelecimentos comerciais (padarias, supermercados, farmácias, casas lotéricas, guichês de estacionamento, restaurantes, etc.) na região metropolitana do Recife, bem como em cidades do interior de Pernambuco, como Caruaru. O objetivo é que as pessoas possam contribuir com a AACD, doando o troco recebido nos estabelecimentos diretamente nos cofrinhos instalados. Atualmente a média de arrecadação mensal é de R$ 8 mil, valor destinado à manutenção dos atendimentos da unidade, que recebe pacientes de todo Nordeste e Norte do Brasil. 

Segunda maior unidade da Instituição no país, só no ano passado foram realizados mais de 120 mil atendimentos no Recife – sendo 98 mil no Centro de Reabilitação, sete mil no Centro de Diagnóstico e mais de 15 mil na Oficina Ortopédica. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima