fbpx
Aplicativo desenvolvido por alunos do MPES na CESAR School é premiado em evento

Alunos do MPES vão receber fomento para bancar app voltado ao turismo local no Amapá

O super app “Pega Carona” ficou em terceiro lugar no Programa Centelha, fomentado pelo Governo do Amapá, e receberá verba para se tornar realidade. Ele foi lapidado por Allan David e Alan Cunha durante o mestrado profissional em Engenharia de Software (MPES) da CESAR School. A oportunidade que David e Cunha tiveram começou com a aprovação na seleção para o mestrado, passou pelas “ponte aérea” Macapá-Recife a cada 15 dias e por muitas perspectivas redesenhadas. “Quando a gente chega ao CESAR e se depara com aquele cenário, trabalhar com o PBL (metodologia Problem Based Learning), é muito gratificante. Esse ano de investimentos valeu muito a pena”, diz Allan David. Confira a entrevista:

Tema da pesquisa da dissertação
A proposta da dissertação em si é voltada para educação da Engenharia de Software na gestão do estado, a utilização de metodologias ágeis no processo de formação profissional acadêmica, utilizando o scrum. Foi pensado voltado para meu trabalho como professor.

Proposta vencedora do Centelha
O Centelha é um projeto do governo do estado do Amapá que visa estimular o empreendedorismo tecnológico. Entre 200 projetos inscritos, chegaram à final 50 e somente 15 terão investimento estadual para desenvolver suas tecnologias. E a nossa tecnologia é voltada para área do turismo local, no eixo de tecnologia social, em que ficamos em terceiro lugar.

Formação dos alunos
Eu sou bacharel em sistemas de informação, pós-graduado em Sistema de Bancos de Dados pela UFPA e concluí mestrado na CESAR School. Já Alan Cunha é tecnólogo em Sistemas para a Internet, e pós-graduado em Docência no Ensino Superior, além de mestrando na School.

A experiência de estudar no CESAR
Foi muito válida. Nós saímos do extremo norte do País, e aqui no Amapá a gente não tem muita especialização, especialmente na área de desenvolvimento. A experiência no CESAR foi muito importante para que nós conseguíssemos esse resultado, essa visão de mercado, de elaboração de projetos, participação, coesão de equipe. A forma como a CESAR School trabalha trouxe muita bagagem pra gente.

Eu trabalho em uma instituição particular, sou coordenador do curso no momento, e aqui implantamos o conceito de fábrica de software, o meu estudo (dissertação) é voltado para a instituição, nos deu condições de participar de projetos como o do Centelha. A School foi crucial na nossa formação.

Olhar sobre o turismo no Amapá
Nós não temos uma ferramenta voltada para o turismo do Amapá. E o nosso estado tem um potencial muito grande que é pouco explorado. Culturalmente, o Amapá não tinha um conceito de investimento em tecnologia e o governo do estado começou a fomentar o setor, o empreendedorismo.
A tecnologia é o super app “Pega carona”, voltada especialmente para o turismo regional. Por ele, é possível fazer desde a aquisição de passagens aéreas, fluviais ou terrestres, e associar a pacotes turístico, entrando no nicho de hotelaria, de locação de veículos, compra de ingressos, entre outros. Existe muito potencial não aproveitado. Como somos o estado mais preservado do país, vemos espaço para alavancar, localmente, o turismo ecológico. Nosso projeto ficou em terceiro lugar na seleção e vai receber recursos.

Do Macapá para a School
A região norte não tem mestrado em Engenharia de Software e aqui no Amapá não temos mestrado em área de tecnologia. Aí ficamos sabendo do mestrado profissional em Engenharia de Software na CESAR School através de alguns colegas de trabalho em 2018. Entrei em contato, verifiquei como seria o processo, gostamos muito da matriz curricular. E eu disse durante o processo de seleção que iria até a nado.

Quando chegamos ao CESAR, de fato, nos deparamos com uma realidade totalmente diferente do que temos aqui no estado. O Recife, de fato, tem um parque tecnológico muito avançado. E a CESAR School proporcionou esse aprendizado diferenciado, esse ambiente inovador, estimulador, da prática da Engenharia de Software. Foi uma experiência fantástica.

Próximos passos
Pretendo seguir na formação acadêmica, é uma área que me identifico bastante. Especialmente focar nas instituições federais daqui. Já recebi convites para trabalhar com consultorias, projetos, na parte de equipes ágeis e engenharia de software.

Rolar para cima