fbpx

Startup voltada a serviços PET é retrato do mercado promissor

Há dois anos no mercado, a startup Lilu é voltada ao mercado pet, uma atividade que movimenta bilhões todos os anos no Brasil e que cresce mesmo diante de cenários adversos. A Lilu é um aplicativo (app) que oferece serviços de banho, tosa, passeio, hospedagem e adestramento  para animais de estimação. Atualmente são 17 parceiros cadastrados e todo o serviço é prestado na cidade de São Paulo e no ABC paulista.

“O usuário pede o serviço pelo app e o parceiro vai até a casa dele. Para 2021, vamos começar plano de expansão para as outras capitais”, comenta o CTO da Lilu, Paulo Abrantes, paraibano que mora em São Paulo, mestre em Engenharia de Software pela CESAR School, onde atualmente cursa o doutorado na mesma área.

Paulo conta que ainda no mestrado seu foco de estudo estava voltado para a área de inovação em startups, o que já despertava a vontade de desenvolver um negócio nesse sentido. “O meu doutorado na School é voltado para Engenharia de Software para startups”, comenta. Paulo, então, estava desenvolvendo um app que facilita o “encontro de parceiros” para pets, estilo Tinder, mas a ideia da Lilu, que já estava mais avançada, tomou a frente.

Na Lilu, Paulo e as sócias Aline Lefol e Elemara Temporim viram o faturamento crescer 400% durante a pandemia. “Nos primeiros meses, rodamos um piloto basicamente para entender se fazia sentido. Validamos em Salvador (BA) e começamos a estruturar para rodar em São Paulo. A ideia é que a gente consiga expandir a operação. Nossa visão é que quando tutor pensar em qualquer serviço, ele lembre da Lilu”, explica Paulo.

 

Participação em reality shows
A Lilu ganhou projeção participando de reality shows. O primeiro, O Anjo Investidor, rendeu investimento para a startup e foi totalmente online; o segundo foi transmitido no estado do Paraná e deu boa visibilidade à startup.

“Foram em torno de 500 inscritos, 36 selecionados e ficamos em 7°, entre oito finalistas. O programa é todo voltado para a apresentação do pitch, e tem desafios que concedem vantagens. A Lilu chegou a ganhar um desses desafios que foi para montar o roteiro de um comercial”, conta Paulo. A startup ainda não atua no Paraná, mas já chegará ao estado conhecida. “Quando aparecemos na televisão, passamos o dia todo recebendo ligações de pessoas interessadas no nosso serviço”.

Rolar para cima