fbpx

Ex-Summers: por que foi incrível participar de um CESAR Summer Job?

“Quando viramos participantes, a gente fica ‘espalhando a palavra’ do Summer Job por aí”, brinca a estudante de jornalismo Suzana Souza, participante do CESAR Summer Job 2020.1. O depoimento dela ainda remete à empolgação de ter sido selecionada e participado de uma experiência que expandiu seu horizonte profissional. Mais que isso: mostrou que todas as ferramentas que já tinha em mãos seriam importantes para os novos objetivos.

“Descobri o CESAR Summer Job a dois dias do fim das inscrições. Corri para fazer um vídeo e foi muito emocionante ter passado na seleção, ainda mais em um momento de muita incerteza do que eu faria na minha vida profissional”, conta Suzana. Ele se refere à formação em Jornalismo, ainda muito engessada na prática tradicional da profissão. No Summer, Suzana aprendeu que o conhecimento adquirido na universidade e no estágio em produção e apuração seriam úteis para sua entrada no campo da tecnologia, que se apropria de um grande leque de conhecimentos e os usa em novas possibilidades e aplicações.

“Até então, via as possibilidades como muito reduzidas, trabalhar com escrita, com noticiário. Mas posso usar o Jornalismo em muitas outras áreas. E estar em contato com pessoas de outros lugares do Brasil e da América Latina é mais um grande diferencial do Summer Job. Talvez se fossem pessoas apenas do Recife a gente não teria acesso a outras perspectivas”, analisa Suzana, para quem a troca cultural é outro plus do estágio de verão do CESAR. “Há um sentimento de ‘jovens de 20 poucos fazendo um trabalho legal, se divertindo enquanto trabalham’, Eu sigo aconselhando todo mundo a tentar”.

Tecnologia, por que não?

Adner Andrade é graduando de Engenharia de Produção. Há um ano, ele já percebia que tinha um “fit” com a área de tecnologia; há um ano, participando do CESAR Summer Job, passou a ter certeza.

“Eu era uma pessoa que vinha de outro knowhow, de outra escola de pensamento, de outra realidade acadêmica. De forma geral, o CESAR conseguiu captar esse meu potencial de estar trabalhando com inovação e tecnologia, e minha aprovação foi uma grande surpresa. Eu imaginava que eu precisava estar mais inteirado do universo da tecnologia, e a primeira grande importância do CESAR na minha vida foi justamente essa validação de que eu posso, consigo e que meu lugar é esse”, conta Adner.

No primeiro evento do CESAR Summer Job 2020.1, Adner entendeu a “grandiosidade” com as palestras, como o direcionamento era nítido. “A forma como eles administram os times, a separação por squads. Até então eu só tinha trabalhado com pessoas da minha área”, completa. 

A definição de desafios também chamou atenção do então summer – com o decorrer do programa, percebeu que o CESAR trabalha como um tipo de embaixador do Porto Digital. “Eu me vi muito inteirado do Porto Digital, da tecnologia como um todo, por conta da atenção dos colaboradores e de todos os envolvidos”.

Adner destaca que as empresas envolvidas no CESAR Summer Job encaram todo o processo com muita seriedade. “Eu pensava: estou no meio da graduação, não me sinto 100% preparado para o mercado de trabalho, e tem uma empresa apostando em mim. Perceber CEOs e funcionários das empresas atentos ao que eu tinha para falar, às pesquisas que eu tinha feito, ao produto que eu desenvolvi, foi uma lição de humildade muito grande”.

Outra quebra de paradigma de Adner com o CESAR foi a possibilidade de ter erros – a experiência de pivotar, do learning by doing, errar, consertar – foi muito interessante. “Na academia a gente pensa muito no produto e é aquilo. O CESAR me ensinou outro tipo de universo: vamos fazer, vamos errar, vamos consertar e vamos aprender rápido”.

Rolar para cima